ASSINAP

AVISO IMPORTANTE!!!

O Presidente da ASSINAP, comunica que está temporariamente suspenso a confecção e por consequência a distribuição do Jornal da ASSINAP.
Exclarecemos ainda, que tal medida está sendo tomada por contenção de despesas, como é do conhecimento de todos o Governo do Estado do Rio de Janeiro, não está repassando a verba das contribuições de nossos associados.
Todavia, a ASSINAP vem mantendo suas atividades com atendimento pelos nossos advogados e funcionários graças ao esforço de sua Diretoria que numa hora como esta não poderia e nem vai deixar nossos associados abandonados a própria sorte.

 

Qualquer Notícia será divulgado em nosso site.

 

Atenciosamente
MIGUEL CORDEIRO

AVISO IMPORTANTE!!!

Ontem circulou através da mídia que a Polícia Civil paralisou suas atividades não se sabe se é temporariamente ou permanente. Lembramos que a Polícia Civil, tem seu respaldo dentro da Constituição Federal.
Já a PM’s e BM’s estão subordinados a um Regulamento arcaico, bem como, é vedado pela Constituição Federal à “GREVE”.
Todavia, queremos alertar aos senhores Comandantes dos Batalhões, Unidades Operacionais, Destacamentos, CIA, UPP, etc.
Que caso cumpra se o que o Governador do Estado do Rio se pronunciou informando que só há dinheiro para mais uma semana pra compra de gasolina para as viaturas.
A medida certa que Vossa Senhorias elaborar uma Petição para o Ministério Público de seu município ou sua cidade. Narrando todos os fatos informando que os senhores não tem condições de colocar seus subordinados nas ruas para dá segurança à sociedade.
Informando ainda, que por falta de condições de trabalho, sem gasolina, material balístico os mesmo irão aguardar em seus quartéis até que o Ilustre membro do “Parquet” apresente uma solução para o caso.
Estas medidas são fundamentais para resguardar eventuais sanções e até mesmo omissão por parte de Vossa Senhorias.
A Nossa Constituição consagra como princípio Fundamental a dignidade da Pessoa Humana.
Não podemos abandonar nossos companheiros a própria sorte por omissão do Estado que chegou do caos.
Somos profissionais de segurança, porém, não podemos da segurança sem um suporte mínimo necessário para a nossa própria segurança. Afinal somos Pais, mães, irmãos, filhos e merecemos respeito ou no mínimo dignidade para poder enfrentar a criminalidade que a cada dia está mais ousada e com armas pesadas.
OBS.: É importante lembrar que nosso regulamento é diferente da Polícia Civil. Temos que ter cautela.
Qualquer um que se sentir coagido, prejudicado ou mesmo ameaçado pelo Estado, pode entrar em contato com a ASSINAP, mesmo que não seja sócio, vamos dá todo suporte necessário.
Ligue e fale diretamente com o Presidente (21) 7818-7083

Policiais militares voltam a receber o Certificado de Registro de Arma de Fogo

Notícia do dia 13 de junho – Polícia Libera Registro de Armas
Com grande atraso, devido à falta de papel moeda, a Polícia Militar voltou a emitir os Certificados de Registro de Arma de Fogo (Crafs), documento que permite aos PMs terem armas particulares. O serviço, vinculado também ao Exército Brasileiro, estava parado desde o ano passado.
Um levantamento mostra que, de 25 de maio a 6 de junho, 2.658 Crafs foram liberados. A pesquisa teve como base as informações publicadas no boletim interno da PM.
Da parte da polícia, precisava resolver o problema do papel moeda. No Exército, faltava celeridade ao processo. A expectativa é que daqui em diante, com a confecção do documento se dando no Rio, as liberações dos Crafs ocorram em no máximo 15 dias. Até então, todo o trâmite chegava a levar mais de um ano.

 

“O CRAF (Certificado de Registro de Arma de Fogo) já foi confeccionado e está sendo entregue aos policiais militares de acordo com cronograma publicado no boletim interno da corporação” – disse o comunicado da polícia à imprensa.
A Polícia esclarece que agiliza ao máximo a confecção do referido documento, porém essa demanda depende órgãos externos
Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/policiais-militares-voltam-receber-certificado-de-registro-de-arma-de-fogo-19495732.html#ixzz4BYmU8gT1

ESTADO ISLÂMICO JÁ TEM ATIRADOR DE ELITE E REDE DE TRÁFICO DE PESSOAS NO BRASIL

Polícia Federal prendeu, em Santa Catarina, homem suspeito de ter recebido treinamento militar da organização terrorista.
O Estado Islâmico já está no Brasil. Esta é a conclusão de dois órgãos de segurança distintos: a Polícia Federal do Brasil e o serviço de controle de imigração dos Estados Unidos. Além deles, a empresa privada de inteligência SITE Intelligence Group alertou nesta semana que, às vésperas das olimpíadas, a organização terrorista lançou um canal de recrutamento de fluentes em língua portuguesa no aplicativo de troca de mensagens Telegram. A descoberta da movimentação terrorista em território brasileiro é motivo de preocupação para os órgãos de segurança, que vêem as olimpíadas do Rio de Janeiro como potencial alvo de atentados.
Atirador treinado pelo Estado Islâmico está em Santa Catarina
Um morador de Santa Catarina está sendo obrigado pela justiça brasileira a usar tornozeleiras após a Polícia federal descobrir que ele viajou à Síria, onde passou três meses, e retornou ao Brasil. Ibrahim Chaiboun Darwiche esteve na cidade síria de Dar Ta Izzah, controlada pelo Estado Islâmico, entre janeiro e abril de 2013. Além disso, ele postou em redes sociais um vídeo defendendo o atentado terrorista ao jornal Charlie Hebdo, em Paris, realizado em janeiro de 2015 que deixou 12 mortos.
Os investigadores da Polícia Federal encontraram com Ibrahim um diário de treinos, onde ele revela sua rotina de treinamentos – de madrugada – com uma arma capaz de acertar alvos à longa distância. Nas anotações pode-se ver que, diariamente, de 1h às 2h da manhã, o suspeito praticava tiros com a arma. Em seguida, das 2h às 3h, fazia a leitura do alcorão. Das 3h às 5h o suspeito dedicava-se a divulgar sua versão do islã, provavelmente via redes sociais. De 5h às 5h30 era o horário das orações e, por fim, das 7h às 8h ele realizava uma atividade física.
A Polícia Federal disse que Ibrahim provavelmente teve contato com extremistas do Estado Islâmico, ocasião em que foi doutrinado religiosamente e recebeu treinamento militar.
Tráfico de pessoas
Uma rede de tráfico de pessoas, com base no Brasil, está transportando suspeitos de terrorismo entre o Oriente Médio e os EUA, passando por território brasileiro. Um dos suspeitos é um homem afegão que planejava ataques em território americano, mas foi preso pouco depois de passar pela fronteira entre México e EUA, revelou o jornal The Washington Times. A publicação diz que o tráfego inclui palestinos, paquistaneses e afegãos. Os órgãos de segurança americanos não informaram quantos desses suspeitos se dirigiram aos EUA, e quantos optaram por permanecer no Brasil.
EI recruta brasileiros via aplicativo de mensagens
Outra movimentação que causa o temor de que atentados estejam sendo planejados para as olimpíadas é a criação, pelo Estado Islâmico, de um grupo de recrutamento em português. O grupo foi criado no aplicativo Telegram. A descoberta da inciativa foi feita no dia 2 de junho pela SITE Intelligence Group, especialista em analisar dados de inteligência sobre o Estado Islâmico.

Cabo da PM é baleado na cabeça após ataque de bandidos na Zona Norte

Criminosos em um veículo roubado atiraram contra viatura que policial estava na Rua Conselheiro Galvão, em Rocha Miranda

Rio, 8 de junho de 2016 – Um cabo da PM foi baleado em um ataque de bandidos a viatura em que ele estava na Rua Conselheiro Galvão, em Rocha Miranda, na Zona Norte, na noite desta terça-feira. Segundo o 9° BPM, ele foi atingido na cabeça ao abordar os homens que estavam em um Hyundai i30 preto, que era roubado. O estado de saúde do policial é grave.
Os criminosos que atiraram no policial fugiram após o ataque. O cabo Silva Rodrigues foi socorrido pelo policial que o acompanhava durante o patrulhanento e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. O policiamento foi reforçado na região e o 9º BPM faz buscas para localizar os criminosos que atacaram a viatura.

 

Em Cascadura, um soldado lotado no 6°BPM (Tijuca) reagiu a um assalto e atingiu dois assaltantes em uma motocicleta, também na noite desta terça-feira. A dupla assaltava o motorista de um carro a frente do veículo do policial. Segundo a PM, os bandidos conseguiram fugir e abandonaram a moto, a arma e os pertences da vítima.

Polícia prende casal que levava mais de dez armas e 1,5 mil munições na Dutra

Agentes apreenderam ainda R$ 5 mil com os suspeitos. Material estava escondido em fundo falso do veículo

 
Rio – Um casal foi flagrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), nesta segunda-feira, transportando um carregamento de armas e mais de 1,5 mil munições de diversos calibres, escondidos em um fundo falso de um carro, durante uma blitz na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em Seropédica, na Região Metropolitana do Rio. Os filhos do casal também estavam no carro onde era transportado o armamento.
Segundo a PRF, os policiais abordavam suspeitos na pista sentido Rio, na altura do pedágio, quando pararam um Fiesta prata em que estava o casal e mais duas crianças. Os agentes disseram que notaram o nervosismo do motorista e eles perceberam que havia indícios de um fundo falso no interior do veículo e começaram a desmontá-lo.
Foram encontradas 18 pistolas, 48 carregadores e 1.531 munições, todas para fuzis e armas de calibre restrito. O suspeito confessou que receberia R$ 5 mil para fazer o transporte do carregamento de armas até o Rio de Janeiro. Tanto o homem quanto a mulher, ambos de 37 anos, nunca haviam sido presos anteriormente. O Conselho Tutelar foi acionado para buscar os filhos do casal, de 8 e 12 anos. A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal, em Nova Iguaçu.

(Fonte: Jornal O Dia)

Delegado quer prisão temporária dos PMs envolvidos em morte em Paraty

Vítima de 23 anos teria sido morto por se recusar a deixar terreno ocupado

Jornal O DIA
Rio – O delegado Flávio Narcizo da 167ª DP (Paraty) encaminhou à Justiça do Rio uma representação pela decretação das prisões temporárias dos policiais militares Udson de Oliveira e Claudio Antonio Fonseca, acusados de assassinar Jaisson Caique Sampaio, 23 anos, em Trindade, Paraty, na Costa Verde. O crime aconteceu na sexta-feira. O rapaz estava em casa quando foi baleado no pescoço, costas e perna.
Segundo a polícia, havia uma briga entre uma empreiteira e moradores por propriedade de terrenos do balneário. Alojamentos de operários da empresa que fazia obras no local foram incendiados. Ainda de acordo com a Polícia Civil, os dois policiais teriam tentado matar o irmão de Jaisson, Jedson Allison Sampaio dos Santos.
Policiais contaram que no dia do crime, às 13h, os dois acusados teriam ingressado em uma propriedade rural, na região da Praia Brava, ocupadas por duas vítimas e suas famílias, e teria iniciado um confronto entre os ocupantes e os PMs.
Os dois autores agiam como representantes da pessoa jurídica que alega ser a dona do terreno. Eles não estavam no exercício da função pública, e teriam usado armas particulares. Teria ocorrido discussão acirrada e, em determinado momento, um dos policiais sacou a arma e fez os tiros que causaram a morte de Jaisson. As armas foram apreendidas e encaminhadas para perícia.
O delegado Flávio prediu as prisões dos suspeitos por entender que as vítimas agiam naquele momento em defesa da sua posse contra os autores, policiais militares, invasores. Eles vão responder por homicídio qualificado por motivo torpe e por recurso que dificultou a defesa da vítima e tentativa de homicídio qualificado

Um PM foi morto a cada seis dias no primeiro bimestre de 2016 em SP

Maioria absoluta dos PM estava fora de serviço; minoria trabalhava

Nos 12 meses de 2015, foram registradas 65 mortes de PMs. Desse total, apenas 13,8% (ou nove vítimas) estavam em serviço quando foram mortos. Os demais 86,2% (ou 56 policiais) foram assassinados quando estavam de folga ou eram aposentados.

O ano de 2014 também foi violento para policiais fora de serviço. Dos 85 mortos, 77 (ou 90,6%) estavam nesta condição. Apenas oito (ou 9,4%) foram assassinados quando estavam trabalhando.

No primeiro bimestre deste ano, dos 24 PMs atacados, apenas quatro (ou 16,66%) estavam em serviço (contra 20 – ou 83,3%). No ano passado inteiro, 146 ficaram feridos, sendo 37 em serviço (25,3%). Em 2014, dos 250 feridos, 51 (ou 20,4%) estavam na ativa.

De acordo com a assessoria de imprensa da PM, os policiais mortos quando estavam de folga foram vítimas de latrocínios – roubo seguido de morte, executados ou em confrontos com criminosos, ao tentarem impedir um roubo, por exemplo.

Com contas bloqueadas pela União, governo do Rio deve parcelar salários de maio dos servidores

 

O Estado do Rio, agora, depende da União para não ter que parcelar os salários de maio de seus servidores públicos.

Hoje, o governo estadual está com suas contas bloqueadas por não ter quitado uma parcela de um empréstimo feito junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), do qual a União era avalista. Caso o Planalto não reveja o pedido de bloqueio, o parcelamento dos salários do funcionalismo fluminense é certo.
Segundo integrantes da cúpula do governo estadual, o Rio não conseguiu quitar a parcela do empréstimo com a AFD porque teve R$ 49 milhões arrestados pela Defensoria Pública. O valor foi retirado das contas estaduais no início da semana passada e serviu para quitar a folha de pagamento dos servidores daquele órgão. O governo contava com esse dinheiro para pagar, entre outras obrigações, parte do financiamento.
Como a União é avalista do empréstimo junto ao fundo francês, coube ao governo federal quitar a pendência. A contrapartida foi pedir o bloqueio de todas as contas estaduais que recebem pagamentos de Imposto sobre Circulação de Mercadores e Serviços (ICMS).
O pagamento salarial dos servidores está agendado para o dia 14 de junho, 10º dia útil do mês. A folha mensal das administrações direta e indireta gira em torno de R$ 1,5 bilhão.
Desde o início da crise, o Estado do Rio trabalha com a arrecadação diária, principalmente de ICMS, para pagar o funcionalismo. A esperança do Executivo é tratar do desbloqueio das contas nos próximos dias, com o governo federal. A crise estadual vem prejudicando o pagamento da folha desde o fim de 2015. Os salários de novembro, por exemplo, foram parcelados em duas vezes para os que recebem mais de R$ 2 mil. Em abril, houve atraso no depósito para 137 mil inativos que recebem mais de R$ 2 mil.

http://extra.globo.com/emprego/servidor-publico/com-contas-bloqueadas-pela-uniao-governo-do-rio-deve-parcelar-salarios-de-maio-dos-servidores-19453489.html#ixzz4AuFjkOLV

Beltrame defende regulamentação das drogas em CPI na Alerj

Secretário disse que o combate às drogas é irracional e que país precisa encontrar uma solução

Jornal O Dia, 24 de maio de 2016

beltrameO secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, defendeu nesta terça-feira, 24 demaio, diante dos deputados que integram a CPI dos Autos de Resistência na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), uma mudança efetiva na política de combate às drogas no país. Beltrame mais uma vez se mostrou favorável a regulamentação do uso das substâncias hoje proibidas como tentativa de solução para a violência crescente, sobretudo nas grandes cidades como o Rio de Janeiro.
“O combate às drogas, hoje, é uma coisa irracional. O estado tem que se preparar para tratar o jovem (usuário). Descriminalizada (a droga) já é. É preciso regulamentar. Estive em Portugal para ver como funciona isso lá, e funciona maravilhosamente. É preciso tentar aqui”, disse Beltrame aos deputados.
A simples regulamentação, no entanto, não seria a solução, segundo Beltrame. O secretário disse que o país precisa discutir segurança pública além dos limites da polícia. E voltou a criticar o Estado brasileiro pela sua ineficiência no combate aos demais fatores que estimulam a violência. “Se guerra fosse solução, no Rio de Janeiro não haveria violência por tudo o que se fez aqui, principalmente na década de 70”, relembrou.
Beltrame comparou a regulamentação das drogas ao Estatuto da Criança e do Adolescente, considerado não apenas por ele, mas por especialistas em segurança pública e educadores como uma conquista da sociedade brasileira que, no entanto, não é cumprida como deveria.
“O Estatuto é maravilhoso. O problema é que ele vira sempre questão de polícia. Eu não tenho problemas em vir aqui à Alerj abrir as vísceras da segurança pública. Mas a Assistência Social faz o mesmo? A Educação? Quanto é investido? A gente precisa discutir isso também”, pontuou.
O secretário reclamou mais uma vez da morosidade do poder público em oferecer cidadania às classes menos favorecidas da população. “Sempre convivemos com discursos cínicos de prefeitos e governadores de que não podiam chegar nas comunidades para realizar os programas necessários. Agora podem. Na Providência, por exemplo, já podia. E nada foi feito. A situação (de violência) voltou. Entramos lá de novo. E agora o poder público já pode entrar novamente… tem comunidade onde começamos um trabalho em 2008 e ainda hoje tem esgoto correndo a céu aberto. Fica difícil”, lamentou.