ASSINAP

Um PM foi morto a cada seis dias no primeiro bimestre de 2016 em SP

Maioria absoluta dos PM estava fora de serviço; minoria trabalhava

Nos 12 meses de 2015, foram registradas 65 mortes de PMs. Desse total, apenas 13,8% (ou nove vítimas) estavam em serviço quando foram mortos. Os demais 86,2% (ou 56 policiais) foram assassinados quando estavam de folga ou eram aposentados.

O ano de 2014 também foi violento para policiais fora de serviço. Dos 85 mortos, 77 (ou 90,6%) estavam nesta condição. Apenas oito (ou 9,4%) foram assassinados quando estavam trabalhando.

No primeiro bimestre deste ano, dos 24 PMs atacados, apenas quatro (ou 16,66%) estavam em serviço (contra 20 – ou 83,3%). No ano passado inteiro, 146 ficaram feridos, sendo 37 em serviço (25,3%). Em 2014, dos 250 feridos, 51 (ou 20,4%) estavam na ativa.

De acordo com a assessoria de imprensa da PM, os policiais mortos quando estavam de folga foram vítimas de latrocínios – roubo seguido de morte, executados ou em confrontos com criminosos, ao tentarem impedir um roubo, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *